< Shu Insanity
Publicou Há 2 dias

Dois podem ser um?

É estranho se sentir assim, diferente, sozinho, maduro. Não sei dizer. Mas é como se tudo tivesse mudado, como se eu tivesse mudado e tudo fosse diferente ao meu ver. Sinto do meu antigo eu. Não que não goste do de agora, até gosto dele, vou chama-lo de Alone (por algum motivo faço questão que a pronuncia seja “arone”) e o antigo, vou chama-lo de Charlie.

Gosto de me sentir bem sozinho, o Charlie não suportaria isso, provavelmente se encolheria no canto com alguma música tão melancólica que traria aquele doce vazio no fundo da barriga. Que nostalgia, sinto falta da melancolia.

Alone é em publico, racional demais, as vezes chega até a ser frio e cruel (quase sempre) as vezes ele se repreende oque faz com que ele se isole um pouco mais no cantinho dele mesmo.

Julgando e conjugando as pessoas, tentando abri-las como um livro e as olhando sempre de dois, três, quatro ou até mais que isso á cima. Se sente mal quando é olhado de cima, e faz de tudo pra ultrapassar aqueles degraus que os separem. Isso até é bom… o ajuda a ser melhor, o ajuda a crescer, o leva a cultura e o motiva bastante, mas quase sempre vem acompanhado de um aperto no coração, lá no fundinho, dói um pouco, as vezes muito.

O vazio que antes era um sentimento agora é uma falta, falta de tudo. Do meu mundo, daquele cheiro, daquelas vozes, dos risos, dos abraços e beijos, do toque, dos sorrisos e choros, do barulhinho da fechadura, dos sermões antes tão duros de se ouvir, daquele lugar, daquele sentimento de fazer algo errado, do medo, da ousadia, da falta de senso de ridículo. Acho que já sei como me perdi.

Não achei que tudo apontaria pra esse lado. Talvez não seja, posso estar apenas deixando a saudade falar por mim. Sabe, não quero ser só o Charlie, gosto do Alone, eu quero os dois.

Publicou Há 2 dias

Quero te tocar.

Publicou Há 2 dias

Você vive de lembranças, planta momentos, rega sentimentos.

Publicou Há 2 semanas

Ser uma piada para os outros…

Publicou Há 1 mês

GEEEEET OOOOUT OF MY MIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIND!

Publicou Há 1 mês

I think I’m dying, here.

Publicou Há 1 mês

Infinity.

Ah quando foi a ultima vez?
Que eu me senti assim.
É tão bom não saber,
Aonde você acaba, aonde o outro começa.

Se sentindo livre pra fazer tudo,
For fun.

Eu amo isso.
Eu amo estar vivo.
Eu amo vocês.

Nós somos como uma sala no vazio,
Com paredes pequenas,
Então quebre, quebre e seja.
Infinito…

Seja o ar, seja o tudo.
O nada. 
Voe sem assas.
Você pode.

Ah oque é a saudade,
sufocar esse amor,
quando te ver de novo.
Prometo que vou quebrar.
Teu peito assim como o meu.

E nós seremos infinitos,
O tudo e o nada.
O nada e o tudo.
Você não imagina.

É tão bom se sentir assim.
Sem começo nem fim.
Como uma super nova,
Queimando tudo por onde passa.

Que seja infinito.
Tanto eu quanto nós.

Publicou Há 1 mês
Publicou Há 1 mês

São tantos desejos…

Publicou Há 1 mês

morosity:

Skin (2013) - Ryan James Caruthers

Publicou Há 1 mês

O pesado das pálpebras é doce.

Publicou Há 1 mês

O toque do pássaro,

O beijo do vento,

A cor,

O vento.

Pele nua.

Sentimento cru.

Publicou Há 1 mês
A REALIDADE ME SEDUZ, A FANTASIA ME RETRAI.
QUE VENHA A DOR DO SONHO PERDIDO.
QUE VENHA O PRAZER DO SANGUE CAÍDO.
QUE VENHA.

A REALIDADE ME SEDUZ, A FANTASIA ME RETRAI.

QUE VENHA A DOR DO SONHO PERDIDO.

QUE VENHA O PRAZER DO SANGUE CAÍDO.

QUE VENHA.

Publicou Há 1 mês
Publicou Há 1 mês